Acho lindos esses powerpoints que recebo. Tudo é beleza e música e cuidados. Tudo lindo. Gosto particularmente daqueles que me pedem para refletir, como se eu fosse um espelho. Gosto que me peçam para refletir. Eu só não reflito porque sou rude, áspero, e o que é rude e áspero não reflete. Mas acho lindo que me peçam isso. Gosto de saber que alguém, seja quem for, vê em mim a possibilidade de refletir.

Não reflito, é verdade, mas mesmo assim, quando recebo um desses powerpoints, sinto que o universo pode ir bem, que as pessoas são boas e que só lhes falta mesmo refletir um pouco. E por isso, por causa desses pedidos de reflexão, o universo tem jeito de melhorar ainda mais. Nada colabora tanto com isso quanto os powerpoints.

Não importa que eu tenha voltado da rua agora e tenha visto motoristas jogando seus carros em cima dos outros como se estivessem todos se acotovelando atrás do caminhão de suprimentos da ONU, não importa que eu quase tenha sido assaltado duas vezes, atropelado uma vez, esbarrado outras tantas, pouco se me dá o mau humor do sujeito que me serviu um café com a cara que eu usaria para servir quem tivesse xingado minha mãe. O fato de eu me sentir um camundongo espiado por gaviões é coisa da minha cabeça, impressão minha. O mundo é lindo, cheio de músicas babacas e imagens cafonas e textos que andam pela tela como moscas, e é preciso ter esperança porque, um dia, por causa de tanta insistência, as pessoas vão parar… e refletir. Só falta mesmo que cedam de vez aos apelos dos powerpoints que recebem.

Anúncios