Quando ela me apareceu, era sábado de Carnaval. Desde esse noite, quando penso no futuro, quando preciso de força, quando o dia é bom, quando a alma dói, quando a estrada é linda, quando chove muito, quando arrumo a vida, quando sorrio e quando choro, eu penso nela: o que era ruim fica bom, o que era bom fica melhor. E o medo desaparece.

O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.

Anúncios