Pobre do país em que um babaca se sente à vontade para correr com sua (?) Ferrari dentro da cidade ao ponto de perder o controle e esboroar-se pelas tabelas.
Pobre do país em que o mesmo babaca, ao perceber que está sendo filmado por uma equipe de reportagem, sente-se igualmente à vontade para dar uns tabefes no operador de câmera.
Pobre do país em que o policial que atende à ocorrência consegue separar a briga mas dispensa o agressor logo em seguida, por não saber quem é o pai daquele babaca e quão acima da lei eles (o babaca e o pai do babaca) estão, e ele prefere não se arriscar. Se o agressor fosse preto, vá lá. Assim, rico, nem pensar.
Pobre do país em que um assunto desprezível como um esbarrão com uma Ferrari dá tanto pano pra manga. E revela tanto sobre uma sociedade.

Anúncios