Um cara é alcoólatra. Pode beber onde estiver, na rua, no ônibus, no cinema. Bebe, sai de si, falta ao trabalho, provoca acidentes, espanca a mulher, destrata os filhos, ofende os vizinhos, vai em cana. Mas, se provar que é alcoólatra, arranja uma pensão vitalícia, e pode ficar em casa, bebendo ou não, pro resto da vida. Afinal de contas, ele é doente.
Outro cara fuma. Mas não fuma em lugares públicos e meios de transporte. Tem área “reservada” para ele nos restaurantes (lugares onde se bebe!), para ser mantido longe feito um leproso, e ainda é obrigado a aturar os olhares de reprovação dos chatos que só se divertem aporrinhando quem está quieto. Pode ser preterido num emprego, mesmo tendo melhores qualificações que seu concorrente, só porque o concorrente não fuma. O cigarro não o faz provocar acidentes, espancar a mulher, destratar os filhos, ofender os vizinhos, faltar ao trabalho. E se ele tentar provar que é doente, vão rir da cara dele. Afinal de contas, ele é só um frouxo que não consegue largar o vício, um bundão.
Tentei. Mas ainda não entendi.

Anúncios